Compostagem doméstica, tudo o que precisa saber

O desperdício de alimentos e a produção excessiva de resíduos são uma batalha que o ser humano tenta travar há várias gerações. Cada português produz, em média, 1.4kg de lixo por dia dos quais grande parte são resíduos orgânicos que acabam por ir para o aterro. Sempre que desperdiça matérias orgânicas, ao colocá-las no lixo indiferenciado, está a contribuir para uma economia linear e para o agravamento da poluição ambiental.
Compostagem_domestica_Missao_Continente 1

Mas como podemos combater este desperdício? Uma das formas é através da Compostagem Doméstica!

A compostagem é um processo biológico de decomposição e reciclagem da matéria orgânica (folhas, papel, restos de fruta e hortaliças). Esta é transformada numa substância à qual damos o nome de “composto”, um adubo rico em nutrientes que melhora as características do solo, sem riscos para o meio ambiente.

Trata-se de um processo bastante simples e económico que todos podem seguir. Descubra agora tudo o que precisa de saber para fazer compostagem em sua casa.

 

O que pode ser compostado

Ao preparar o lixo orgânico, o primeiro passo é saber o que pode fazer parte da compostagem. Deve ter em conta dois tipos de resíduos:

  • Resíduos verdes – ricos em azoto e geralmente húmidos. Por exemplo: folhas verdes, ervas daninhas sem sementes, cascas de ovo esmagadas, saquetas de chá, borras de café, flores ou restos de frutas e legumes.

  • Resíduos castanhos – ricos em carbonos e secos. Referimo-nos a folhas secas, palha ou feno, cascas de batata, ramos pequenos, restos de frutos secos, agulhas de pinheiro, pedaços de guardanapos e outros papéis não plastificados, entre outros.

 

O que não deve ser compostado

Nem todo o lixo é indicado para compostagem, pois coloca em risco a fertilidade e estrutura do solo. Estes são alguns resíduos domésticos que não deve colocar neste processo:

  • Restos de carne, peixe e marisco
  • Excrementos de animais
  • Laticínios
  • Medicamentos
  • Beatas de cigarros
  • Cinzas de carvão
  • Resíduos de jardim tratados com pesticidas
  • Plantas doentes ou infestadas com insetos
  • Ervas daninhas com sementes
  • Resíduos não biodegradáveis (plástico, metal, vidro)
  • Cortiça

 

Compostagem_domestica_Missao_Continente_corpo

Como fazer a compostagem doméstica?

Agora que já sabe que tipos de resíduos podem fazer parte do seu composto, o passo seguinte é saber como fazer a compostagem. Basta seguir estes cinco passos:

  1. Escolha o local
    Privilegie um lugar à sombra e sem vento, para manter o composto fresco.

  2. Prepare o fundo
    Coloque uma camada de pequenos ramos que possibilite um maior arejamento e evite a compactação.

  3. Misture os materiais
    Prepare diferentes camadas de resíduos castanhos e verdes, sendo a última sempre de resíduos castanhos (para evitar maus odores, insetos e outros animais).

  4. Mantenha o composto húmido
    Caso seja necessário, regue o seu composto.

  5. Utilize o composto
    O composto estará pronto a ser utilizado entre dois e três meses. Pode utilizar em hortas e jardins, vasos e sementeiras ou até doar a produtores locais.

 

Cuidados a ter com a compostagem doméstica

A temperatura, o arejamento e a humidade são os principais influenciadores no processo da compostagem. Se algum destes fatores não estiver devidamente cuidado podem surgir alguns problemas:

  • Temperatura alta ou baixa – a temperatura ideal do composto deve ser entre 60 a 65 graus, caso esteja muito alta, adicione mais resíduos verdes ou revire o composto regularmente. Se estiver baixa, adicione mais resíduos e verifique se existe arejamento suficiente.

  • Composto demasiado húmido ou seco – se estiver muito húmido, o seu composto pode ter demasiada água ou falta de arejamento, adicione folhas secas ou resíduos castanhos e remexa o composto para aumentar a circulação de ar. Se estiver muito seco, adicione resíduos verdes e água.

  • Falta de arejamento – Muitos problemas que podem surgir no processo estão ligados à falta de arejamento. Ao remexer o seu composto com regularidade poderá evitar problemas como o cheiro desagradável, a temperatura alta ou a humidade.

 

Iniciativas de compostagem doméstica e comunitária

Existem já inúmeras iniciativas que promovem o ensino e prática da compostagem.

A campanha “Compostar, outra forma de reciclar” da Valorsul disponibiliza uma formação online a pessoas de vários municípios e ainda oferece um compostor para pôr em prática o que aprendeu.

Informe-se junto da câmara do seu município e saiba se existe algum programa de compostagem comunitária. Caso não exista, faça uma proposta e ajude a trazer compostagem a mais casas. O planeta agradece!

 

Tome nota!

Reduzir a pegada ecológica requer um pequeno esforço que está ao alcance de todos. A compostagem é apenas um de muitos hábitos que ajudam a preservar o nosso planeta, sem implicar um grande investimento de tempo ou dinheiro. Existem muitas outras estratégias que poderá seguir para implementar uma casa mais ecológica. O importante é dar o primeiro passo.

Conheça todas as iniciativas promovidas nesta área pela Missão Continente e comece já hoje a contribuir para um futuro melhor.